Casos de COVID-19
  • USA 13,137,829
    USA
    Confirmados: 13,137,829
    Ativos: 5,064,388
    Recuperados: 7,805,225
    Óbitos: 268,216
  • India 9,266,697
    India
    Confirmados: 9,266,697
    Ativos: 453,450
    Recuperados: 8,677,986
    Óbitos: 135,261
  • Brazil 6,166,898
    Brazil
    Confirmados: 6,166,898
    Ativos: 483,252
    Recuperados: 5,512,847
    Óbitos: 170,799
  • France 2,170,097
    France
    Confirmados: 2,170,097
    Ativos: 1,962,927
    Recuperados: 156,552
    Óbitos: 50,618
  • Spain 1,622,632
    Spain
    Confirmados: 1,622,632
    Ativos: 1,578,595
    Recuperados: ?
    Óbitos: 44,037
  • UK 1,557,007
    UK
    Confirmados: 1,557,007
    Ativos: 1,500,474
    Recuperados: ?
    Óbitos: 56,533
  • Italy 1,480,874
    Italy
    Confirmados: 1,480,874
    Ativos: 791,697
    Recuperados: 637,149
    Óbitos: 52,028
  • Argentina 1,390,388
    Argentina
    Confirmados: 1,390,388
    Ativos: 135,390
    Recuperados: 1,217,284
    Óbitos: 37,714
  • Peru 954,459
    Peru
    Confirmados: 954,459
    Ativos: 33,985
    Recuperados: 884,747
    Óbitos: 35,727
  • Chile 544,092
    Chile
    Confirmados: 544,092
    Ativos: 8,774
    Recuperados: 520,180
    Óbitos: 15,138
  • China 86,469
    China
    Confirmados: 86,469
    Ativos: 305
    Recuperados: 81,530
    Óbitos: 4,634
  • Paraguay 78,878
    Paraguay
    Confirmados: 78,878
    Ativos: 21,162
    Recuperados: 56,025
    Óbitos: 1,691
  • Uruguay 4,988
    Uruguay
    Confirmados: 4,988
    Ativos: 992
    Recuperados: 3,923
    Óbitos: 73
Notícias

Fiocruz Bahia vai iniciar a realização de testes para covid-19

A Fiocruz Bahia dará início à realização de testes para diagnóstico do novo coronavírus até o final do mês de maio. No momento, o fluxo está sendo testado, visando definir o número de amostras que serão processadas por dia. O diagnóstico será realizado pela técnica RT PCR, que é o teste molecular para detecção do material genético do vírus SARS-COV-2. A ação contribuirá para a ampliação da capacidade de testagem do estado.

A iniciativa foi consolidada por meio de cooperação da Fiocruz Bahia com a Secretaria Estadual de Saúde da Bahia (SESAB) e Prefeitura de Salvador, em consonância com a Coordenação de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e da Coordenação de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência da Fiocruz. Os kits para diagnóstico são desenvolvidos pelos institutos de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), no Rio de Janeiro, e de Biologia Molecular do Paraná (IBMP). 

A diretora da Fiocruz Bahia, Marilda Gonçalves, destacou a importância das parcerias com instituições do Estado visando apoio às ações no enfrentamento ao novo coronavírus. “Compreendemos a emergência em saúde pública pela qual estamos passando e temos certeza de que essa rede de cooperação contribuirá para ampliar ainda mais o sistema de testagem molecular para a COVID-19 no nosso estado, bem como para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde, o nosso SUS”, pontuou.

A Plataforma de Diagnóstico da Covid-19 foi organizada na Fiocruz Bahia para a realização das testagens moleculares. A técnica empregada na testagem já é utilizada em diversos projetos de pesquisa da instituição, assim como os equipamentos necessários. “O que realmente tivemos que investir foi no preparo de um laboratório dedicado à prestação do serviço. Está sendo um grande aprendizado para todos e, em tempos difíceis como este, o aprendizado deixará um legado importante”, declarou Camila Indiani, Vice-diretora de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação da Fiocruz Bahia.

A nova estrutura conta com 4 equipes, totalizando 20 profissionais, formadas por estudantes de pós-graduação, pós-doutores e pesquisadores da Fiocruz Bahia, além de colaboradores da Prefeitura de Salvador. “Os integrantes das equipes se voluntariaram para participar desta iniciativa, o que muito nos deixa orgulhosos”, comentou Camila Indiani.

Também trabalham junto aos grupos, profissionais responsáveis pela Biossegurança e Qualidade, para construir e revisar protocolos de diagnóstico, de biossegurança, de recebimento e processamento de amostras. O treinamento dos últimos integrantes das equipes está sendo finalizado e os primeiros insumos adquiridos para o início dos testes deverão chegar na próxima semana. 

Os resultados obtidos serão registrados no GAL, para serem visualizados pelas unidades cadastradas requisitantes do teste. 

Teste molecular

As Unidades de Saúde serão cadastradas no sistema Gerenciador de Ambiente Laboratorial – GAL, através do LACEN-BA, e enviarão as amostras coletadas para a Fiocruz Bahia. A partir da chegada da amostra, a estrutura montada cuidará de garantir a descontaminação externa e certificará se a amostra enviada está em conformidade com os critérios de qualidade de coleta e transporte. Em seguida, a amostra seguirá para as etapas de aliquotagem/biobanco e extração do material genético viral. Esta etapa será realizada em conformidade com as normas de biossegurança dentro de laboratórios com níveis de segurança 2+ e 3 (NB2+ e NB3). 

Após a extração do material genético viral, este seguirá para a realização do RT-PCR que permite a transcrição reversa do RNA viral em DNA complementar, e em seguida amplifica o DNA complementar através da reação em cadeia da polimerase em tempo real, permitindo a detecção do vírus. Os resultados obtidos serão analisados por uma equipe treinada para então serem registrados no GAL, para serem visualizados pelas unidades cadastradas requisitantes do teste. 

O pesquisador da Fiocruz Bahia, Ricardo Khouri, explica que, além da técnica molecular que será utilizada na Fiocruz Bahia, existem também as técnicas sorológicas, que identificam a infecção de maneira indireta, através da detecção dos anticorpos no soro do paciente. Embora sejam mais rápidas e fáceis de serem executadas, são menos específicas. De acordo com o pesquisador, as técnicas moleculares identificam o material genético do vírus mesmo antes dos sintomas surgirem e até, aproximadamente, dez dias após o início dos sintomas, isso permite o manejo do paciente de maneira mais eficaz. 

Já as técnicas de detecção dos anticorpos só podem ser utilizadas a partir da fase final da presença viral, após alguns dias do aparecimento dos sintomas, pois o sistema imune dos pacientes necessita entre 7-14 dias após a infecção para produzir os anticorpos em quantidade suficiente para serem detectados. 

“A utilização de técnicas moleculares também possibilita excluir a chance de transmissão por um paciente que tenha se curado dos sintomas, enquanto que a detecção de anticorpos permite conhecer a prevalência dessa infecção numa população e discutir a possibilidade de retorno às atividades dos indivíduos com resposta imune protetora”, explica Khouri. 

Enfrentamento da pandemia

Além da realização de testes moleculares para o diagnóstico da COVID-19, a Fiocruz Bahia desenvolve uma série de para enfrentamento do novo coronavírus. Marilda Gonçalves destaca o apoio às instituições do estado e do município, auxiliando com o fornecimento de infraestrutura e expertise e colaborando com a realização de de estudos de validação de testes e de predições. 

Outra iniciativa importante é a participação de pesquisadores da Fiocruz Bahia em comitês do Estado e do Consórcio do Nordeste, visando contribuir com ações no enfrentamento da COVID-19. A Fiocruz Bahia também tem trabalhado na produção e distribuição de informações sobre a doença para comunidades e seus comitês, além da realização de eventos online para levar informações aos cidadãos.

“A Presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, tem apoiado todas as iniciativas da nossa unidade, especialmente o coordenador de Vigilância em Saúde e Laboratórios de Referência, Rivaldo Venâncio, o Vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde, Marco Aurélio Krieger; e o Vice-presidente de Gestão e Desenvolvimento Institucional, Mario Santos Moreira, aos quais agradecemos imensamente”, frisou a diretora. 

Confira outras duas importantes ações da Fiocruz Bahia:

Tele Coronavírus – 155 – Serviço gratuito de triagem para pessoas com suspeita da COVID-19,  idealizado por pesquisadores da Fiocruz Bahia, realizado em parceria com a UFBA e o Governo do Estado da Bahia, conta com o apoio da ABM e de estudantes dos cursos de medicina.

Rede CoVida – Projeto de colaboração científica e multidisciplinar focado na pandemia de COVID-19 realizado em parceria com a UFBA. A rede criou um painel para monitoramento da doença.