Casos de COVID-19
  • USA 33,418,826
    USA
    Confirmados: 33,418,826
    Ativos: 6,499,158
    Recuperados: 26,324,757
    Óbitos: 594,911
  • India 21,892,676
    India
    Confirmados: 21,892,676
    Ativos: 3,723,446
    Recuperados: 17,930,960
    Óbitos: 238,270
  • Brazil 15,087,360
    Brazil
    Confirmados: 15,087,360
    Ativos: 1,027,489
    Recuperados: 13,640,478
    Óbitos: 419,393
  • France 5,747,214
    France
    Confirmados: 5,747,214
    Ativos: 823,825
    Recuperados: 4,817,288
    Óbitos: 106,101
  • UK 4,431,043
    UK
    Confirmados: 4,431,043
    Ativos: 61,253
    Recuperados: 4,242,192
    Óbitos: 127,598
  • Italy 4,092,747
    Italy
    Confirmados: 4,092,747
    Ativos: 397,564
    Recuperados: 3,572,713
    Óbitos: 122,470
  • Spain 3,567,408
    Spain
    Confirmados: 3,567,408
    Ativos: 240,606
    Recuperados: 3,248,010
    Óbitos: 78,792
  • Argentina 3,118,134
    Argentina
    Confirmados: 3,118,134
    Ativos: 273,360
    Recuperados: 2,777,902
    Óbitos: 66,872
  • Peru 1,839,465
    Peru
    Confirmados: 1,839,465
    Ativos: 55,281
    Recuperados: 1,720,665
    Óbitos: 63,519
  • Chile 1,235,778
    Chile
    Confirmados: 1,235,778
    Ativos: 38,337
    Recuperados: 1,170,437
    Óbitos: 27,004
  • Paraguay 294,233
    Paraguay
    Confirmados: 294,233
    Ativos: 44,344
    Recuperados: 242,915
    Óbitos: 6,974
  • Uruguay 216,146
    Uruguay
    Confirmados: 216,146
    Ativos: 25,961
    Recuperados: 187,153
    Óbitos: 3,032
  • China 90,746
    China
    Confirmados: 90,746
    Ativos: 300
    Recuperados: 85,810
    Óbitos: 4,636
Notícias

Estudo avalia se houve aumento de imunidade na população da capital

Um grupo de pesquisadores da Fiocruz Bahia vai realizar um estudo para identificar a presença de anticorpos específicos do Sars-CoV-2 em habitantes de diferentes bairros de Salvador. O objetivo é avaliar se houve aumento de imunidade na população em decorrência do aumento de casos positivos para a Covid-19, na capital. 

A pesquisadora da Fiocruz Bahia, Claudia Brodskyn, coordenadora do estudo.

O projeto foi aprovado no Edital Geração de Conhecimento – Enfrentamento da Pandemia e Pós-Pandemia Covid-19, do Programa Fiocruz de Fomento à Inovação (Inova Fiocruz), que  apoia propostas nas áreas definidas pela Fundação como prioritárias para a pandemia, visando acúmulo de conhecimento necessários ao entendimento da doença. A pesquisa será realizada em parceria com o pesquisador do Instituto de Saúde Coletiva, da Universidade Federal da Bahia (ISC/UFBA), e pesquisador visitante da Fiocruz Bahia, Federico Costa. 

A pesquisadora da Fiocruz Bahia e coordenadora do projeto, Cláudia Brodskyn, disse que a previsão é que as amostras de sangue comecem a ser coletadas até setembro, cerca de seis meses após a confirmação do primeiro caso na cidade, e, posteriormente, serão feitas coletas entre janeiro e fevereiro e julho e agosto de 2021. 

A coleta em três períodos distintos, inclusive em períodos posteriores ao início da pandemia, servirá para mostrar se os resultados que serão encontrados em Salvador serão semelhantes ou diferentes dos dados encontrados em estudos similares em outras regiões do país. “Acreditávamos que haveria um aumento de pessoas com sorologia positiva em tempos mais tardios de avaliação após a pandemia, mas outros estudos mostram o oposto, então essa observação em períodos distintos será importante dentro do projeto”, explica a pesquisadora.

Quatro bairros de Salvador irão fazer parte deste estudo: dois com maior vulnerabilidade econômica e dois com poder aquisitivo maior, para que seja realizada uma análise dos parâmetros socioeconômicos associados a Covid-19, através de aplicação de um questionário. Serão 250 pessoas por bairro, sendo 1 mil indivíduos por período, totalizando 3 mil indivíduos.

A imunidade para a Covid-19 ocorre quando o indivíduo é infectado e anticorpos neutralizantes são produzidos para combater esse vírus e impedindo que ele se torne novamente infectado caso tenha contato novamente com o Sars-CoV-2. Alguns estudos apontam que os anticorpos para esse vírus persistem na fase de recuperação até três meses após a exposição ao vírus. Após esse período, pode ocorrer uma diminuição significativa dos níveis de anticorpos.