Casos de COVID-19
  • USA 33,418,826
    USA
    Confirmados: 33,418,826
    Ativos: 6,499,158
    Recuperados: 26,324,757
    Óbitos: 594,911
  • India 21,892,676
    India
    Confirmados: 21,892,676
    Ativos: 3,723,446
    Recuperados: 17,930,960
    Óbitos: 238,270
  • Brazil 15,087,360
    Brazil
    Confirmados: 15,087,360
    Ativos: 1,027,489
    Recuperados: 13,640,478
    Óbitos: 419,393
  • France 5,747,214
    France
    Confirmados: 5,747,214
    Ativos: 823,825
    Recuperados: 4,817,288
    Óbitos: 106,101
  • UK 4,431,043
    UK
    Confirmados: 4,431,043
    Ativos: 61,253
    Recuperados: 4,242,192
    Óbitos: 127,598
  • Italy 4,092,747
    Italy
    Confirmados: 4,092,747
    Ativos: 397,564
    Recuperados: 3,572,713
    Óbitos: 122,470
  • Spain 3,567,408
    Spain
    Confirmados: 3,567,408
    Ativos: 240,606
    Recuperados: 3,248,010
    Óbitos: 78,792
  • Argentina 3,118,134
    Argentina
    Confirmados: 3,118,134
    Ativos: 273,360
    Recuperados: 2,777,902
    Óbitos: 66,872
  • Peru 1,839,465
    Peru
    Confirmados: 1,839,465
    Ativos: 55,281
    Recuperados: 1,720,665
    Óbitos: 63,519
  • Chile 1,235,778
    Chile
    Confirmados: 1,235,778
    Ativos: 38,337
    Recuperados: 1,170,437
    Óbitos: 27,004
  • Paraguay 294,233
    Paraguay
    Confirmados: 294,233
    Ativos: 44,344
    Recuperados: 242,915
    Óbitos: 6,974
  • Uruguay 216,146
    Uruguay
    Confirmados: 216,146
    Ativos: 25,961
    Recuperados: 187,153
    Óbitos: 3,032
  • China 90,746
    China
    Confirmados: 90,746
    Ativos: 300
    Recuperados: 85,810
    Óbitos: 4,636
Notícias

Servidora da Fiocruz Bahia participa de projeto de controle de leitos da Covid-19

A chefe do serviço de Qualidade e Biossegurança da Fiocruz Bahia, Hilda Carolina de Jesus Rios Fraga, está participando do projeto “Controle de leitos de campanha de paciente da Pandemia Covid-19”, da equipe do Doutorado de Difusão do Conhecimento (DMMDC) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA).

A proposta foi uma das 48 selecionados no edital nº 01/2020 do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), para o enfrentamento à doença. O projeto inicialmente será feito na Bahia, com possibilidade de extensão de abrangência a nível nacional.

A iniciativa pretende ajudar na previsibilidade de oferta, demanda e permanência do paciente no leito de campanha destinado à Covid-19. Serão moduladas três redes neurais, utilizando a tecnologia Deep Learning (técnica de aprendizado de máquina, a partir de Redes Neurais Artificiais), para prever o tempo de permanência do paciente no leito; a demanda formada por pacientes graves e com possibilidade de complicação vindos das unidades de saúde e a disponibilidade de leitos de campanha com base nos recursos disponíveis.

Antonio Carlos Souza, professor do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) e atual coordenador geral do DMMDC, explica que o projeto foi idealizado diante da atual pandemia da Covid-19, com intuito de contribuir para o desenvolvimento de uma nova solução tecnológica que possa auxiliar nas tarefas de tomada de decisão para enfrentamento da doença.

“Com base no cronograma, teremos a etapa da validação dos módulos do sistema em unidades de atendimento à Covid-19, em novembro/2020. O prazo final para conclusão do projeto será em dezembro/2020”, pontua Antonio Carlos Souza.

A servidora da Fiocruz Bahia e aluna do DMMDC participará do projeto contribuindo com ações e informações relacionadas às medidas de biossegurança de pacientes com Covid-19 internados em hospitais de campanha na Bahia e de profissionais que estão trabalhando nestes ambientes na linha de frente no atendimento ao paciente. 

Hilda comenta que o tema da biossegurança na pandemia tem se destacado, atualmente, frente o grande número de profissionais que têm se contaminado. “Esta contaminação pode ter como causa inicial a ausência utilização de equipamentos de proteção individual (EPI) ou ainda uso indevido dos mesmos em virtude de deficiência no treinamento de utilização. A ideia é contribuir com informações sobre esta temática e divulgar quais são as melhores condutas de proteção individual que diminuem o risco de contaminação de pacientes e profissionais”, afirma a servidora.

Para a doutoranda, estudar e divulgar conhecimento científico neste momento e em relação ao coronavírus é fundamental, “uma vez que estamos diante de uma pandemia de proporções desconhecidas e ainda muito carente de informação científica. Nosso objetivo é unir esforços e contribuir para a tomada de decisões na temática apresentada”, aponta.

De acordo com o professor, após a pandemia e diminuição dos casos graves, esse sistema poderá ser utilizado em outras situações epidemiológicas, em outras epidemias e pandemias, por trabalhar com previsibilidade e replicabilidade.

* Com informações do IFBA.